Sistemas de Aquecimento Solar de Alta Pressão: cuidados e atenções

Os Sistemas de Aquecimento Solar (SAS) de alta pressão são utilizados em casos que o cliente já possui uma rede pressurizada ou em novas instalações que o uso de rede de alta pressão (até 40 m.c.a.) é necessário em função dos acessórios hidráulicos (duchas de alta vazão, registros monocomando, etc.), aumentando o conforto do usuário, mas também o consumo de água.

Nestes casos o reservatório térmico deve ser protegido por um conjunto de válvulas e um vaso de expansão para protegê-lo em caso de variações abruptas de pressão positiva e negativa. Para tanto, estas válvulas e o vaso de expansão devem ser especificados corretamente para que sua função seja exercida sempre que for solicitado.

No momento da venda do SAS é importante saber a pressão da rede do cliente para a correta especificação dos componentes do sistema.

As válvulas utilizadas nos sistemas de alta pressão são:

Válvula eliminadora de ar: tem a função de retirar todo o ar ou vapor formado dentro do reservatório térmico.

Válvula quebra vácuo: permite a entrada de ar no reservatório, caso haja uma pressão negativa dentro dele. Isso pode ocorrer se a entrada de água do reservatório for obstruída e houver saída de água no consumo.  Esta válvula pode ser substituída por uma válvula de retenção instalada invertida.

Válvula de segurança: permite o controle da pressão máxima do reservatório, abrindo sempre que a pressão exceder o ajuste definido na válvula.

Registro esfera: utilizado para os momentos de manutenção em que o reservatório precisa ser esvaziado, este registro permite a entrada de maior quantidade de ar no interior do reservatório térmico.

Manômetro com ponteiro de arrasto: Este tipo de manômetro é importante para verificar a que pressão máxima que o sistema atingiu, o que pode indicar que o vaso de expansão está descalibrado ou que uma válvula está danificada.

Todas eles devem passar por manutenção a cada 6 meses para que continuem operando de forma adequada, pois em caso de vazamento, a água aquecida não provocará ferimentos aos moradores ou danos à residência.Em instalações com mais de um reservatório térmico cada um deve possuir seu conjunto de válvulas e, entre eles, não deve haver registro que impeça a comunicação dos reservatórios com o vaso de expansão. Já o vaso de expansão deve ser dimensionado em função do volume do reservatório térmico, a temperatura máxima que o SAS pode atingir, a pressão de trabalho e a pressão da válvula de segurança. Em regra geral, podemos utilizar um percentual de 4% do volume do reservatório térmico para dimensionar o vaso de expansão e sua pressão de pré-carga será calibrada com 7,0 psi (0,5kgf/cm²), abaixo da pressão da válvula de segurança. Esta calibragem deve ser realizada com o vaso de expansão não conectado à rede hidráulica e precisa ser verificada a cada 6 meses. O vaso de expansão deve ser instalado na entrada de água fria do reservatório térmico, antes do sifão. Concluindo, um sistema de aquecimento solar de alta pressão necessita de todo o cuidado e atenção na venda, instalação e manutenção, pois é uma instalação mais complexa e de maior custo, agregando maior conforto ao cliente. Vale ressaltar também que o sistema deve ser dimensionado para uma pressão acima da pressão máxima do pressurizador, por exemplo, um pressurizador de 2,5kgf/cm² (25 m.c.a.) deve trabalhar com o reservatório térmico de 4,0kgf/cm² (40 m.c.a.), em função do aumento da temperatura do sistema ao longo do dia e consequentemente o aumento da sua pressão. Se o sistema já estiver na pressão de 4,0kgf/cm², a válvula de segurança irá atuar com muita frequência, o que não é desejável. Todo o sistema deve ser instalado em local impermeabilizado e as válvulas devem ser posicionadas de forma que a água ou vapor que venham a ser expelidos por elas não cause danos à edificação ou aos usuários. Para maiores informações, consulte nosso manual de instalação (link)

Em instalações com mais de um reservatório térmico cada um deve possuir seu conjunto de válvulas e, entre eles, não deve haver registro que impeça a comunicação dos reservatórios com o vaso de expansão.

Já o vaso de expansão deve ser dimensionado em função do volume do reservatório térmico, a temperatura máxima que o SAS pode atingir, a pressão de trabalho e a pressão da válvula de segurança.

Em regra geral, podemos utilizar um percentual de 4% do volume do reservatório térmico para dimensionar o vaso de expansão e sua pressão de pré-carga será calibrada com 7,0 psi (0,5kgf/cm²), abaixo da pressão da válvula de segurança. Esta calibragem deve ser realizada com o vaso de expansão não conectado à rede hidráulica e precisa ser verificada a cada 6 meses.

O vaso de expansão deve ser instalado na entrada de água fria do reservatório térmico, antes do sifão.

Concluindo, um sistema de aquecimento solar de alta pressão necessita de todo o cuidado e atenção na venda, instalação e manutenção, pois é uma instalação mais complexa e de maior custo, agregando maior conforto ao cliente.

Vale ressaltar também que o sistema deve ser dimensionado para uma pressão acima da pressão máxima do pressurizador, por exemplo, um pressurizador de 2,5kgf/cm² (25 m.c.a.) deve trabalhar com o reservatório térmico de 4,0kgf/cm² (40 m.c.a.), em função do aumento da temperatura do sistema ao longo do dia e consequentemente o aumento da sua pressão. Se o sistema já estiver na pressão de 4,0kgf/cm², a válvula de segurança irá atuar com muita frequência, o que não é desejável.

Todo o sistema deve ser instalado em local impermeabilizado e as válvulas devem ser posicionadas de forma que a água ou vapor que venham a ser expelidos por elas não cause danos à edificação ou aos usuários.

 

Em instalações com mais de um reservatório térmico cada um deve possuir seu conjunto de válvulas e, entre eles, não deve haver registro que impeça a comunicação dos reservatórios com o vaso de expansão. Já o vaso de expansão deve ser dimensionado em função do volume do reservatório térmico, a temperatura máxima que o SAS pode atingir, a pressão de trabalho e a pressão da válvula de segurança. Em regra geral, podemos utilizar um percentual de 4% do volume do reservatório térmico para dimensionar o vaso de expansão e sua pressão de pré-carga será calibrada com 7,0 psi (0,5kgf/cm²), abaixo da pressão da válvula de segurança. Esta calibragem deve ser realizada com o vaso de expansão não conectado à rede hidráulica e precisa ser verificada a cada 6 meses. O vaso de expansão deve ser instalado na entrada de água fria do reservatório térmico, antes do sifão. Concluindo, um sistema de aquecimento solar de alta pressão necessita de todo o cuidado e atenção na venda, instalação e manutenção, pois é uma instalação mais complexa e de maior custo, agregando maior conforto ao cliente. Vale ressaltar também que o sistema deve ser dimensionado para uma pressão acima da pressão máxima do pressurizador, por exemplo, um pressurizador de 2,5kgf/cm² (25 m.c.a.) deve trabalhar com o reservatório térmico de 4,0kgf/cm² (40 m.c.a.), em função do aumento da temperatura do sistema ao longo do dia e consequentemente o aumento da sua pressão. Se o sistema já estiver na pressão de 4,0kgf/cm², a válvula de segurança irá atuar com muita frequência, o que não é desejável. Todo o sistema deve ser instalado em local impermeabilizado e as válvulas devem ser posicionadas de forma que a água ou vapor que venham a ser expelidos por elas não cause danos à edificação ou aos usuários. Para maiores informações, consulte nosso manual de instalação (link)

 

Para maiores informações, consulte nosso manual de instalação na nossa página de downloads!

Posts Relacionados

1 Comentário