coletores solares

Como comparar coletores solares?

O mercado brasileiro está bem concorrido quando falamos em sistemas de aquecimento solar. Na dúvida ou visando a uma aquisição rápida, muitas pessoas priorizam sempre o preço mais baixo. Mas nem sempre essa é a melhor escolha.

O coletor solar é um produto que, em geral, oferece alta durabilidade e pode ser instalado com relatividade praticidade, desde que o trabalho seja feito por bons profissionais. Mas é importante você avaliar alguns critérios na hora de comprar.

A comparação entre os produtos é uma estratégia que ajuda a definir a melhor opção para o consumidor, pois permite avaliar o que cada modelo ou marca apresenta que representa uma vantagem para o usuário. Dessa forma, você consegue adquirir o que oferece o melhor custo-benefício. A seguir, reunimos algumas dicas de como comparar coletores solares. Venha conferir!

Diferencie entre coletores solares para piscina e para banho

Uma primeira comparação é em relação ao uso do coletor solar. Os coletores solares para piscinas tendem a ser mais simples, já que sua finalidade é, geralmente, aquecer a temperatura da água entre 25º C a 28º C. 

Um material eficiente na captação de energia solar para aquecer piscinas é o polipropileno atóxico. Os coletores para piscina podem ser menos largos e mais compridos que os outros. Existem até os de 4 metros. 

É importante utilizar o produto certo conforme seu uso, pois assim você evita a ineficiência do sistema ou um sistema acima daquilo que você realmente precisa. A instalação com engate rápido é um diferencial que você deve verificar na hora de comprar um coletor solar para piscina. 

Compare a eficiência energética da superfície

Outra coisa que você deve comparar é a seletividade da superfície. Isso porque a superfície mais seletiva absorve uma quantidade maior de radiação solar, o que representa um melhor custo-benefício. 

A cor da tinta aplicada na superfície é decisiva nesse ponto. Considera-se que a cor preta é a que mais absorve calor. Embora ela seja realmente eficiente, a cor azul na superfície seletiva é melhor que a cor preta fosca. Enquanto a cor azul absorve até 91% do calor (emite 4% e reflete 5%), a cor preta comercial absorve 50% do calor (emite 45% e reflete 5%). 

São pontos que podem passar despercebidos na hora de comparar, mas que representam muito do ponto de vista econômico. 

Você pode comprar um coletor com superfície seletiva por um preço mais alto e não necessitar de uma quantidade muito grande deles. Ao contrário, se comprar um coletor com menos potencial de absorção, talvez precise comprar mais unidades e, no final, o projeto poderá sair mais caro e menos eficiente.

Para se certificar desse ponto, você pode perguntar ao vendedor ou conferir as especificações técnicas do produto. 

Verifique a durabilidade e a resistência

Também convém comparar os coletores solares em relação à sua durabilidade e à sua resistência. De modo geral, os coletores têm uma vida útil longa, que pode alcançar até 20 ou 25 anos. Quanto mais durável for o produto, mais tempo ele poderá resistir. Essa durabilidade está associada, não somente ao material usado na confecção, mas também na forma como ele foi produzido. 

O método de soldagem e a estrutura dos perfis são pontos relevantes para você comparar. Os perfis de alumínio e vidro com estrutura adesivada oferecem boa durabilidade, superior aos que usam peças plásticas para o encaixe dos perfis.

E vale lembrar que o vidro temperado resiste seis vezes mais ao choque de granizos, que são comuns em algumas áreas do país.

Há diferentes formas de soldagem aplicadas nas indústrias: arco manual (o mais antigo método), TIG (de difícil operação), MIG (soldagem semiautomática), oxigás (usa energia para a produção de calor e a fundição do metal), eletrodo revestido (versátil e mais indicada para aço), arco com arame tubular (muito rápida), ultrassom (muito rápida, eficiente, econômica e dá elevada rigidez ao produto final).

Analise o material de isolamento térmico

O isolamento térmico é uma propriedade tanto dos coletores solares quanto dos reservatórios. O isolamento térmico no fundo do coletor pode ser obtido por meio de diferentes materiais, como:

  • Lã de rocha;
  • Lã de vidro;
  • Poliuretano expandido;
  • Papel kraft.

Geralmente, a lã de vidro e a lã de rocha oferecem um desempenho melhor na conservação da temperatura. O papel kraft e o poliuretano, após determinado período, podem perder sua função.

A espessura do material também indica o grau de eficiência no isolamento. Costuma-se medi-la em milímetros e, quanto mais espessa ela for, será mais eficiente. 

Compare a eficiência das aletas

As aletas fazem parte da estrutura de um coletor e se responsabilizam pela condução do calor captado do sol. Podem ser confeccionadas em cobre ou alumínio. Ambos os metais são eficazes, mas a condutividade térmica do cobre supera a do alumínio. Para compensar, as aletas de alumínio devem se apresentar em ligas de alta condutibilidade, mais espessas.

Cada aleta tem um tubo conectado a ela. Esse tubo pode ser de cobre. Quanto mais aletas e tubos por metro (largura) do coletor, maior será a eficiência do sistema.

Conheça os tipos de coletores solares

Os coletores solares de placas planas são os mais comuns em residências e oferecem bom desempenho, ou seja, são ideais para atender às demandas dos consumidores e oferecem custo-benefício satisfatório.

Eles apresentam muitas camadas, por isso, recebem o nome de coletor multicamadas. A disposição de várias camadas tem como objetivo garantir a máxima absorção da radiação do sol:

  • Cobertura transparente;
  • Placa absorvedora;
  • Isolamento térmico;
  • Placa absorvedora.
  • Caixa coletora, que funciona como estrutura para os outros elementos. 

Há também os coletores de tubos a vácuo, que usam tubos de vidro e não de metal. A água quente passa por dentro de um tubo que está no interior de outro tubo. A área entre os tubos está submetida a isolamento a vácuo. Apesar de serem mais usados em indústrias, também podem ser aplicados em residências. 

Há ainda outros tipos, como: os coletores solares de placas planas sem cobertura; os coletores CPC (estacionários); os coletores de concentração de radiação; os coletores de máxima reflexão; os coletores lineares Fresnel.

Essas são algumas diferenças entre os coletores solares que você deve comparar antes de comprar. Na verdade, quanto mais soubermos sobre suas vantagens e diferenças, estaremos mais preparados para uma aquisição mais econômica e segura. Consulte a NBR 15569:2020 e veja a diferenciação e a classificação propostas pela norma.

Vimos que o coletor solar é formado por muitas partes, não é? Vale a pena conhecê-las mais a fundo. O que acha da ideia? Aproveite e confira a importância das aletas em um aquecedor solar!

Posts Relacionados

0 Comentários